This is a platform for User Generated Content. G/O Media assumes no liability for content posted by Kinja users to this platform.

10 Cursos Online Que Farão Você Abandonar (de Vez) O Portunhol

As 10 Melhores Maneiras De Preparar-se, Segundo a Ciência

Um estudo publicado em janeiro de 2013 pela revista científica Psychological Science in the Public Interest avaliou 10 comuns técnicas de estudo pra classificar quais possuem realmente a melhor utilidade. O repercussão do paper (íntegra aqui) traz várias surpresas para o estudante. Técnicas de estudo bastante populares no Brasil, como resumir, grifar, utilizar mnemônicos, ver de perto imagens pra apreensão de textos e reler conteúdos foram classificadas como as de utilidade mais baixa.

Advertisement

Três técnicas de estudo foram encaradas como de utilidade moderada: interrogação elaborativa, auto-descrição e estudo intercalado. E as duas que obtiveram o mais grande grau de utilidade pela aprendizagem foram as técnicas de teste prático e prática distribuída. É a ciência desaprovando boa quota das minhas técnicas de estudo, muito Vale a pena Aprender Em Grupo Pra Concursos Públicos? resumos, grifos, mnemônicos e mapas mentais.

Por outro lado, foi confirmada a impressão que eu tinha de que a promoção de exercícios em doses cavalares era bastante efetiva para o estudo pra concursos públicos. Antes de continuar, tenha em mente de que o ranking reflete os resultados da procura, contudo cada pessoa tem tuas próprias técnicas de estudo e nada está escrito em pedra. Informe teu email para fazer o download do ebook Mude Tua Produtividade. Dito isto, falemos agora sobre isso as dez técnicas de estudo, das piores para as melhores. Tão simples quanto ineficiente. Prepara-se para ceder um descanso ao seu grifador amarelo.

Advertisement
  1. 5- Cursos Com Cronograma
  2. 62 Relações Públicas
  3. um - Xmind
  4. 30/11 | Lembrando Que Vários Pela Nossa Turma : confira imagens do vestibular e dos aprovados na USP
Advertisement

O estudo sinaliza que a técnica de somente grifar partes consideráveis de um texto é pouco efetiva pelos mesmos motivos pelos quais é tão popular: praticamente não requer esforço. Ao fazer um grifo, seu cérebro não está organizando, construindo ou conectando conhecimentos. Pois, grifar só podes ter alguma (pouca) utilidade quando combinada com novas técnicas ou no momento em que você neste momento está cansado. Reler um conteúdo, em norma, é menos efetivo do que as demasiado técnicas apresentadas.

O estudo, mas, descreveu que estabelecidos tipos de leitura (massive rereading) podem ser melhores do que resumos ou grifos, se aplicados no mesmo tempo de tempo. A dica é reler neste momento depois de ler, por algumas vezes. Segundo o dicionário Houaiss, mnemônico é qualquer coisa relativo à memória; que serve para elaborar a memória e descomplicar a memorização (diz-se de técnica, exercício etc.); fácil de ser lembrado; de simples memorização.

Advertisement

Em apostilas e web sites de concursos públicos, é muito comum ver o uso de mnemônicos com as primeiras letras ou sílabas, como SoCiDiVaPlu para decorar os regulamentos da República Federativa do Brasil (post 1º da Constituição). Está gostando desse texto? A Avaliação Da Aprendizagem No Ensino Superior seu Facebook pra olhar desafios, encontrar parceiros e vencer seus objetivos. O estudo da Psychological Science in the Public Interest mostrou que os mnemônicos só são efetivos quando as palavras-chaves são primordiais e no momento em que o instrumento estudado acrescenta expressões-chaves fáceis de memorizar. Primeira Aprovação No Concurso Público! não se adaptam bem a geração de expressões-chaves não conseguiram ser bem aprendidos com o exercício de mnemônicos. Em vista disso, utilize-os em casos específicos e pouco tempo antes de teste.

Modelo de mapa mental. Os pesquisadores pediram que estudantes imaginassem figuras durante o tempo que liam textos. O consequência afirmativo foi somente em relação a memorização de frases. Em ligação a textos mais longos, a técnica mostrou-se insuficiente efetiva. Surpreendentemente (no mínimo para mim), a transformação das imagens mentais em desenhos assim como não demonstrou aumentar a aprendizagem e ainda trouxe o inconveniente de limitar os privilégios da imaginação. Isso não invalida inteiramente o uso de mapas mentais pra estudos, já que esses consistem além de desenho a conexão de ideias e conceitos. De qualquer forma, o resultado do estudo é que a visualização não é uma técnica efetiva para provas que exijam conhecimentos inferidos de textos. Irei resumir para você.

Share This Story

Get our newsletter